Os 12 Signos de Valentina (Ray Tavares)

Oi pessoal!

No inicio da semana eu trouxe pra vocês a história de Fangirl que nos apresenta o mundo das fanfics e então eu aproveitei a oportunidade e trouxe para vocês algumas informações sobre esse gênero que tem crescido cada vez mais. Dentre essas informações eu mostrei três plataformas que acesso para ler algumas histórias desse tipo (dentre elas o Wattpad que é um meio de publicação gratuita de inúmeros livros). Naquela oportunidade eu lhes disse que essa abordagem era uma introdução para uma série de posts que começariam a aparecer por aqui e hoje eu lhes explico o porquê de toda aquela falação:

O livro da resenha de hoje nasceu como uma história publicada no Wattpad e teve mais de dois milhões de acesso. Dois milhões!! Isso é surreal, não?

 

Infelizmente eu conheço esse história a super pouco tempo e não a acompanhei na internet. Queria muito ter passado por todo o processo de espera dos capítulos, dos momentos de sofrimento e risada junto com todos os outros leitores, poder conversar com eles e comentar a cada atualização e  tudo o mais, mas como disse para vocês eu sou super recente nesse mundo, então só me restou conhecê-lo através do Mochilão da Record e logo me apaixonei pelo enredo.

00000

Logo que fiquei sabendo que haveria uma tarde de autógrafos aqui em Belo Horizonte, não pensei duas vezes e fui logo me preparando para aproveitar a oportunidade de conhecer a Ray!

Sem mais delongas, vamos à resenha e depois conversamos mais sobre a Ray…

 

 

∴   Edição   ∴

 

Eu preciso começar falando da capa: ela é maravilhosa e tem uma textura muito diferente – eu fiquei o tempo todo na fila do autógrafo passando a mão na capa e, mesmo com medo de acabar estragando meu livro novinho, eu não conseguia me obrigar a parar!!!! Além disso a paleta de cores, o designer e a fonte escolhidas são maravilhosas.

Além disso, ele tem páginas amareladas (♥), ótimo tamanho de fonte, margem e espaçamento e ainda possui vários dos detalhes que eu adoro, tais como balõezinhos para mensagens, fonte diferenciada para e-mails e um designer nas páginas dedicadas aos posts de blog feito nos moldes de abas da internet e cada uma tem um desenho que simboliza o signo em questão. Isso que eu chamo de atenção aos detalhes, não concordam?

000

Para deixar esta resenha nos moldes das outras devo repetir alguns dados de publicação: esse lindinho foi publicado pela Galera Record no segundo semestre de 2017.

∴   História   ∴

 

Isadora Mônaco namorou com Lucas por seis anos e acreditava que ele era o amor da sua vida, até que no seu aniversário de 22 anos ela descobre – de maneira pública – que, na verdade, Lucas estava traindo-a com sua amiga da faculdade.  Isso fez com que a garota entrasse em uma depressão onde tudo que ela queria era ficar em casa. Isso durou muitos meses, até o dia em que sua prima e melhor amiga, Marina, resolveu dar um basta na situação e a arrastou até uma balada.

Acontece que, por mais que Marina quisesse ajudar, Isadora ainda não estava pronta – afinal não se tratava de um relacionamento de um mês, estamos falando de seis anos – e a garota acabou bebendo todas e no final da noite estava chorando as pitangas no banheiro para a faxineira da balada. Foi nesse papo que ela descobriu que, na verdade, a culpa por seu relacionamento ter dado errado era dos astros: Isadora era ariana e Lucas um pisciano e isso caracterizava um tremendo inferno astral.

00

Isadora, que estava doida para encontrar uma explicação para o fim do namoro, agarrou-se firmemente a isso e, ao descobrir que teria que criar uma página da internet sobre qualquer assunto para seu trabalho de Jornalismo Online, ela resolveu juntar o útil ao agradável e escolheu desenvolver um experimento antropológico e relatar em um blog – sob o pseudônimo de Valentina – suas interações com cada um dos doze signos do zodíaco. Dessa forma então ela se propôs encontrar um homem para cada signo e descrever suas impressões sobre o gatinho em questão. Isso que é dedicação à causa! 😉

Claro que essa é a receita certa para muita confusão e o blog de Isadora vira uma febre. Todos dentro (e fora) da faculdade parecem conhecê-lo e, aquilo que era para ser algo que lhe ajudasse a superar o fim do relacionamento, tomou proporções estratosféricas e mostrou para Isadora que ela era uma mulher independente e incrível que poderia se divertir sozinha e que não precisava de ninguém para completá-la, mas é então que o inesperado acontece: ela se apaixona!

 

 

Falar que eu amei esse livro pode parecer exagerado e suspeito, mas essa é a pura verdade. Foram muitas risadas ao longo de todo o livro. A Ray escreve de uma maneira incrível e que torna a leitura leve e fluida. Ela entrelaça uma história que mostra o amadurecimento e empoderamento de Isadora, nos trás diferentes padrões de relacionamento, aborda a política atual de uma forma única e tudo isso embalado em muito humor. Claro que suas paixões por Harry Potter e How I Met Your Mother não poderiam ficar de fora e diversas referências a essas e outras séries são encontrados aqui e ali – conquistando de vez meu coraçãozinho!

0000

Desde a metade do livro eu já sabia que o leria mais um milhão de vezes, e não deu outra: tão logo cheguei no fim eu virei o livro e comecei de novo. Não me dando por satisfeita, aproveitei a #MLI2017 para criar um chat sobre o livro na esperança de falar sobre ele e felizmente fui respondida por uma garota super fofa que ajudou a amenizar minha ansiedade! Para completar minha saga do zodíaco ainda tive que correr para um site para ver como era meu mapa astrológico e meus ascendentes, coisa que, mesmo tendo uma fase viciada em astrologia quando era bem mais nova, nunca cheguei a conferir. Ficava sempre no bom e velho horóscopo mesmo.

Com o passar do tempo acabei deixando isso de lado, mas agora a curiosidade voltou com força total e eis o resultado: sou Geminiana do 1º decanato, com ascendente em Libra, Lua em Áries e Mercúrio (e Vênus) também em Gêmeos (o que quer que isso signifique! risos). Já o meu segundo impulso provocado por essa leitura gostosa foi iniciar eu mesma o #ProjetoValentina, pelo simples fato de que parece muito divertido fazer algo assim, mas não é dessa vez que irei compartilhar algo assim com vocês!

0

Por fim, mas não menos importante, tenho que dizer duas coisas sobre esse livro: Os 12 Signos de Valentina, além do grande número de leitores, ganhou o prêmio The Wattys de 2016 e possui o melhor book trailer que eu já vi!!!! Ficou curioso? Clique aqui para conferir você também!

Mas e quanto à autora desse livro?? Como eu disse lá em cima, eu tive a honra e o prazer de conhecer a Ray em um evento aqui em BH e ela é muito fofa!! E desde então a acompanho nas redes sociais e, claro, no Whattpad para poder ler todas as histórias dela por lá, que já são oito!

000000

Ray começou a escrever aos 13 anos criando fanfics de McFly (♥) e desde então não parou mais! Acompanhem vocês também o trabalho dela (clicando aqui). A satisfação é garantida e vocês ainda incentivam o trabalho dela, o que por si só já vale um clique…

Bom, acho que é só isso por enquanto. Agora deixo a palavra para vocês: conhecem essa história incrível?

Nos vemos no próximo post,

 

Xx

Fangirl (Rainbow Rowell)

Oi pessoal!

Este não era o post programado para hoje, mas resolvi antecipá-lo para tratar de um assunto que começará a aparecer um pouco por aqui a partir de agora… Mas primeiro vamos à resenha de Fangirl!

Eu encontrei esse livro por acaso em 2014 e a primeira coisa que me chamou a atenção foi o título, que eu li errado! Ficou confuso? Okay, vou explicar melhor…

Sabe quando você vê o início de uma palavra e pressupõe o resto dela, mas ao mesmo tempo você sabe que está errado? Pois é, sou mestre em fazer isso! Deve ser por isso que sou péssima em forca! E foi exatamente isso que aconteceu com esse livro.

Eu li “fan” e logo pensei em fanfic, mas logo vi que estava enganada. A principio…

0

Mas por que essa confusão, vocês devem estar se perguntando. Eu explico: estava conhecendo o mundo das fanfics e estava cada vez mais viciada nisso!  Eu entrei nesse maravilhoso mundo das fanfics em 31 de dezembro de 2013, por meio da minha amiga linda (a Laura). Sim eu sei a data exata. Sou praticamente a louca das datas! Nesse dia eu estava na casa da minha amiga e ela estava gentilmente me fazendo uma lavagem cerebral , me levando para o maravilhoso mundo de suas bandas favoritas e das histórias na internet.

Sério, tudo mudou depois disso! Além de ter um livro sempre na bolsa, passei a ter sempre uma historia aberta no celular. Descobri assim que conseguia ler duas coisas ao mesmo tempo.

Mas voltando à historia do livro: eu estava no Shopping Cidade, esperando justamente pela Laura (que estava mais de uma hora atrasada) e, depois de andar pelo shopping, onde eu fui parar? Na Leitura, é claro!

Juro que só fui até lá por que queria ler o meu livro da vez e todos os bancos do shopping estavam ocupados e eu fui até a Leitura em busca de suas cadeiras confortáveis. Bom… essa foi a desculpa – esfarrapada – que eu usei para me permitir ir até a livraria, mas, uma vez lá, eu não poderia evitar de rodar entre as ilhas e estantes até chegar às poltroninhas. Foi nesse pequeno passeio que vi esse livro e fui logo lendo “fanfic” e pensei: “Olha! Vou mostrar para a Laura!” Mas então eu vi que na verdade era Fangirl.

Nesse momento eu parei para analisar a capa: uma garota com um computador; “romance” escrito na tela; um balãozinho de pensamento… “Opa! Talvez eu não esteja tão errada assim”, pensei, e fui ler a sinopse e vi que o livro era era muito mais do que eu tinha pensado! Fiquei abraçada com ele até Laura chegar e no final é claro que acabei levando ele comigo.

 

 

∴   Edição   ∴

0000

Fangirl foi publicado em 2014 pela editora Novo Século. A capa – principalmente se comparada com as demais vistas aqui no blog – é bem minimalista, mas não deixa de ser bonita. Adoro a paleta de cores utilizadas (esse verde menta é muito lindo), gosto do destaque para o título (que, afinal, foi o que nos trouxe até aqui) e dos balõezinhos que me lembram minhas amadas revistas em quadrinhos que por tanto tempo me acompanharam.

00000

As páginas são amareladas, com ótimo tamanho de fonte, espaçamento e margem. Não há nenhum detalhe interno como em alguns dos livros que mostrei aqui, mas cada capitulo é precedido de um pequeno trecho dos livros de Simon Snow ou dos textos escrito pela personagem.

 

 

∴   História   ∴

 

Cath e Wren são gêmeas criadas pelo pai desde que foram abandonadas pela mãe aos oito anos de idade. As duas eram inseparáveis e durante a infância/ adolescência dividiram uma grande paixão: a série de livros Simon Snow. Mas com o início da vida universitária, Wren – a gêmea “socialmente ativa” – decide que quer mais independência e se recusa a ter a irmã – a gêmea “nerd e introvertida” – como colega de quarto.

000000000

Cath então se vê sozinha e fora de sua zona de conforto. Mas ela tem um refúgio: uma fanfic que ela escreve sobre a série de livros.  E não se trata de uma fanfic qualquer, é uma fanfic de sucesso entre os fãs da saga.  Mas será que ela vai conseguir conciliar essa sua paixão com a nova fase de sua vida?

Em meio a estas novas experiências e sua paixão pelo universo de Simon Snow, acompanhamos Cath nessa nova fase da sua vida, acompanhando não só seu amadurecimento pessoal como também sua história como escritora.

Tenho muitos motivos para gostar muito desse livro. São tantos que nem sei por onde começar a falar, por isso acho mais prático enumerar alguns pontos:

1) Durante a leitura do livro percebemos que Simon Snow é, na verdade, Harry Potter, o que já fez meu coraçõzinho bater mais forte;

2) é impossível não me identificar com a Cath, por que:

        a) ela é fã de Harry Potter Simon Snow;

        b) ela vive lendo e relendo a série;

        c) ela procura estar sempre por dentro das novidades desse universo;

       d) ela ama escrever (♥). “Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real.”  Juro que só por esse pequeno trecho a sinopse me pegou de jeito;

3) é uma leitura leve e divertida. Perfeita para quem quer relaxar com um bom livro e uma xícara de chocolate quente!

Enfim, esse livro é ótimo (assim como as outras obras de Rainbow Rowell, que são sempre muito elogiados) e quando acabei de ler fiquei louca para saber se a autora tinha algo sobre Simon Snow, mas não encontrei nada. Um tempo depois ela lancou Carry On. Eu pensei que seria a fanfic de Cath, mas até onde eu pesquisei, trata-se do próprio livro contando a história de Simon Snow. Ainda não o li, mas espero fazer isso em breve e, assim que isso acontecer eu conto para vocês o que achei.

 

 

∴   Fanfic   ∴

 

Agora vou mudar ligeiramente de assunto e falar um pouco sobre fanfictions. Para explicar melhor para vocês eu pesquisei mais sobre o assunto e achei o site Liga dos Betas (para conhecer mais clique aqui) que trata do assunto de uma forma bem detalhada:

O termo fanfic se trata de uma abreviação de fan fiction (ou fanfiction), designando a ficção feita por fãs, sem caráter comercial ou lucrativo, a partir de uma determinada história criada por terceiros. As proposições de que parte o escritor (ou ficwriter) para criação de uma fanfic são infinitas, podendo ser a justificativa de um aspecto da história ‘original’; a exploração de alguns personagens dessa trama (geralmente aqueles com os quais o ficwriter mais simpatiza); a alteração de certos acontecimentos e desfechos, dentre infinitas outras. Da mesma forma, o “universo original” que serve de cenário (ou fandom) para uma fanfic pode ser qualquer um e pertencer aos variados âmbitos, como séries de televisão, livros, animes, bandas, novelas…”.

Dessa forma, temos que alguém – um ficwriter, como a Cath – pode escolher uma história e dar a ela sua própria versão, alterando seu desfecho ou rumo dos personagens e/ou explorando um universo de infinitas possibilidades. O ficwriter pode também escolher uma figura conhecida (personagem de livro, ator, integrante de banda ou aquele crush secreto) e criar uma história com ele.

000

Assim como são muitas as possibilidades no momento da criação da fanfic, são muitos os lugares em que se pode publicá-la. As plataformas que eu mais acesso são: Fanfic Obsession, Wattpad e Spirit. La vocês podem encontrar histórias incríveis e ainda pode deixar sua própria imaginação rolar solta.

Mas, “para que falar tudo isso? Apenas para explicar um termo que aparece no livro?”, vocês devem estar se perguntando… Muito bem, eu respondo: NÃO!

Bom, não totalmente… Claro que eu explicaria o termo para o caso de alguém não estar familiarizado com ele como eu (até pouco tempo) não estava, mas o motivo de ter separado uma parte do post de hoje para falar desse assunto é na verdade uma introdução, um convite e um incentivo.

Como diria Jack Estripador: vamos por partes!

Aproveitei o assunto abordado no livro para tratar das fanfics aqui no blog pois a partir da próxima resenha este tópico deve aparecer por aqui mais vezes, como disse no inicio do post. Então, para o caso de alguém não saber do que se trata agora não vai ficar perdido quando clicar na próxima resenha.

Além disso quero convidá-los a desbravar esse mundo que está só a alguns cliques de distância. Não importa sua idade, gosto ou ideologia, com certeza existe por aí uma fanfic perfeita para você, seja baseada em seu livro favorito, na série que você ama ou naquela banda que enche sua playlist. Então, queridos leitores, dê você também uma chance a essa infinidade de histórias só esperando uma chance de te conquistar!

Permitam-me um pequeno parêntese: as fanfics são publicadas na internet pelos próprios autores. Alguns destes, talvez pela idade ou falta de experiência, não tem muito critério na hora de divulgar seus trabalhos. Também temos que considerar que, como acontece em qualquer lugar (sobretudo na internet), encontramos coisas muito estranhas, mas existe muita coisa boa que faz tanto sucesso quanto a fanfic de Cath. Portanto, não julgue pelo gênero, não desista da experiência e nem fale mal de todo esse universo se você encontrar algumas “pérolas” pelo caminho, okay?

00

Por fim, mas não menos importante, abordo esse tema para fazer um convite a todos vocês que, como eu (e a Cath) são apaixonados por palavras e querem dar vasão a suas próprias histórias! Publicar em uma dessas plataformas (mesmo que seja uma história 100% original e não uma “ficção criada por fã”) é uma excelente maneira de aperfeiçoar sua técnica, desenvolver a habilidade, receber feedback e ainda fazer amigos!

Sei que este post ficou enorme, então se você leu até aqui, muito obrigada! Acho que, no fim das contas, nem saí tanto assim do assunto da resenha, não é?!

Mas agora é a hora de vocês: conhecem Fangirl? E fanfics? São fãs desse tipo de história, ou para você, essa foi a novidade que precisavam para mergulhar de cabeça?

Me digam aqui nos comentários, vou adorar conversar com vocês sobre esse tema!

Xx

A pequena livraria dos corações solitários (Annie Darling)

Oi pessoal!

Dessa vez eu nem demorei heim? #começandoasemanacomtudo!

Screenshot_20170730-164119

Bom, vamos à resenha da vez. Esse é mais um livro que conheci no Mochilão da Record, mas na época ele ainda não tinha lançado. Logo que vi a capa eu fiquei completamente apaixonada, além do titulo ter contribuído bastante para isso. Um tempo depois do Mochilão eu estava no Instagram e vi algumas fotos da editora anunciando o lançamento do livro e corri para o site da Saraiva e comprei o livro ainda em pré-venda e recebi um imã muito fofo junto!

 

∴   Edição   ∴

Esse livro recém saído do forno foi lançado pela Editora Verus em 2017. A capa é maravilhosa, mostrando um pouco da livraria com um casal fofo na janela e tem detalhes de plantinhas dos lados e verniz localizado. Sério… Acho que esse é o livro com a capa mais linda já resenhado aqui no blog!

Screenshot_20170730-165025

As páginas são amareladas com ótimo tamanho de fonte, margem e espaçamento. Ainda estão presentes no livro fontes diferentes para cartas, e-mails e para as partes que mostram um livro que a Posy está escrevendo e a imagem que abre o capitulo é de uma plaquinha como essa com o nome da livraria que aparece na capa! Muito amor né (♥)?

Screenshot_20170730-164306

 

 

∴  História  ∴

 

Posy Morland é uma garota que passou a vida toda em meio às estantes de uma livraria em Londres. Quando Lavinia Thorndyke, “livreira, mentora e incansável defensora da literatura” morre e lhe deixa a Bookends – uma livraria localizada na Bloomsburry desde 1912 – ela se vê obrigada a encarar as responsabilidades de um negócio para tirar a livraria do vermelho e assim salvar não só o emprego de seus amigos como garantir a casa em que ela e o irmão vivem.

Screenshot_20170730-164630

Mas apesar de sua ótima ideia para repaginar a livraria e inseri-la em um mercado diferenciado de Londres, nem tudo será tão fácil já que Sebastian Thorndyke, neto da doce Lavinia, parece ter resolvido fazer de sua missão na terra atormentar Posy de todas as formas possíveis. Sebastian é, nas palavras de Posy, “o homem mais grosso de toda Londres”, mas é bem sucedido nos negócios e por isso quer de todos os jeitos ajudar Posy. O problema é que eles não concordam em absolutamente nada e Sebastian não sabe ouvir “não” como resposta.

Em meio a toda confusão que esses dois se metem, Posy começa a desenvolver fantasias ardentes envolvendo Sebastian. Quer receita maior para riso e confusão? Ainda encontramos nessas páginas diversas citações famosas. A minha preferida é de Jane Austen (que caiu como uma luva na época que estava lendo o livro, pois estava escrevendo um artigo sobre essa renomada autora):

“Eu declaro, afinal, que não há prazer maior que a leitura!”

 

Bom, não preciso dizer nada não é? O livro é incrível do inicio ao fim e mal posso esperar para ler os próximos livros da coleção, pena que eles devem demorar uma eternidade para sair, mas enquanto isso esse lindinho ganhou um cantinho especial na minha estante.

Screenshot_20170730-164918

Foi a primeira vez que li algo de Annie Darling, mas já me vi completamente facinada pela escrita dessa autora britânica e devo dizer, que foi um começo espetacular! Ele é repleto de romance, comédia e referências literárias. Eu super me vi andando por aquelas estantes e planejando o que eu faria se a livraria fosse minha…

E vocês? Já leram/estão ansiosos para ler esse livro? Me contem aqui nos comentários para eu saber o que acharam!

Xx

 

Maratona Literária de Inverno 2017

Oi pessoal!

Screenshot_20170730-171253

Como eu disse no último post, desde o dia 16/07 eu estava participando da Maratona Literária de Inverno 2017 do canal Geek Freak e, mesmo que a maratona tenha ganhado mais seis dias e mais um desafio, vou encerrar a minha primeiríssima maratona literária “hoje”, porque eu comecei outra maratona e para não bagunçar as coisas eu resolvi encerrar “dentro do prazo inicial”.

∴  TBR: #MLI2017  ∴
Screenshot_20170730-165405

E vamos aos livros escolhidos ♥  Foram propostos três níveis para agradar a todos os tipos de leitores Principiante, Intermediário e Hardcore. O primeiro nível continha três categorias, o intermediário incluía três novas categorias além dos listados no primeiro nível e no hardcore temos os seis categorias anteriores e mais três – para aqueles leitores frenéticos!  Como era minha primeira maratona, eu quis ir com calma e me inscrevi no nível Principiante, que consiste em:

1) Um livro com a capa azul: Sussurros do País das Maravilhas

Screenshot_20170730-170734

Esse é o livro 3.5 da coleção O lado mais sombrio de A. G. Howard que trás três contos do universo fantástico de Alyssa Gardner. Eu simplesmente amo essa coleção e o primeiro volume até já apareceu aqui no blog. Essa capa – que nem preciso falar que é linda – é azul para mim, ou pelo menos azul o suficiente para eu escolhê-lo para ler, pois já estava adiando isso há alguns meses e estava super ansiosa!

2) Um livro com menos de 200 páginas

Screenshot_20170730-170440

Para essa categoria eu escolhi Princesa Adormecida da Paula Pimenta que tem 186 páginas. Eu li esse livro em uma tarde porque ele é realmente muito pequenininho.

 

3) Um livro que você comprou pela capa

Screenshot_20170730-165454

Eu comprei esse livro literalmente pela capa – e também pelo título que achei super interessante – em uma feira de livros no Boulevard Shopping. Fiquei bem decepcionada com esse livro. Eu esperava algo muito diferente e nem sei se vou ler o próximo volume… Talvez eu leia esse livro de novo para ver se eu mudo de opinião…

 

4) Um livro escrito por uma mulher

Screenshot_20170730-165254

Nessa categoria escolhi Os 12 signos de Valentina. Para ser bem sincera eu ia repetir aqui o(s) da Paula Pimenta, mas eu queria tanto reler esse livro que agarrei com tudo a primeira desculpa que tive para fazer isso e também queria falar sobre esse livro com alguém para não dar spoilers pra vocês e pensei que essa seria uma ótima oportunidade!

 

5) Um livro que você não sabia a sinopse

Screenshot_20170730-165135

O livro da vez foi Princesa das Águas e vocês podem estar pensando “Poxa Vê, você não sabia do que se tratava esse livro?” e bom… a resposta surpreendente é: Não! Sim… eu sabia que era uma releitura de A Pequena Sereia, mas só porque eu já conhecia Princesa Pop antes mesmo de ganhar a coleção, não sabia nada do livro em si e como eu sempre leio a sinopse de todos os livros que compro esse era o único que se encaixava pelo menos um pouco.

 

6) Um livro nacional

Okay, confesso: aqui eu vou roubar! Como a minha lista já tem três livros nacionais vou repetir aqui os livros da Paula Pimenta e da Ray Tavares! Não me julguem!

 

 

∴   Experiência  ∴
Screenshot_20170730-170849

Eu achei uma experiência muito divertida, apesar de não ter conseguido participar dos desafios e porque eu estava sempre fora de casa quando um era lançado! Maratonas literárias são uma ótima oportunidade para quem quer ler em conjunto e discutir sobre um livro, além de ser uma excelente desculpa para você entrar com tudo em uma boa leitura. Apesar disso a maratona não alterou muito meu ritmo de leitura já que costumo ser uma leitura ligeiramente frenética…

É isso aí pessoal, esse aí foi um pequeno resumo da minha #MLI2017 e eu simplesmente adorei essa experiência que com certeza vou repetir diversas vezes. E vocês? Já participaram de alguma Maratona? Nos vemos em breve!

Xx

 

 

O canto mais escuro da floresta (Holly Black)

Cof cof cof!!

Vamos tirar a poeira disso aqui?

Oi pessoal!

Ainda tem alguém por aqui? 😦 Não acredito que já tem mais de um mês desde o último post! E pior que dessa vez nem posso me dar uma boa desculpa… tudo bem que nas duas últimas semanas de aula eu estava bem enrolada com os trabalhos finais da faculdade (tive que escrever ­dois  artigos – um deles sobre Jane Austen ♥) mas a bem da verdade é que, mesmo quando entrei de férias, não escrevi nenhuma resenha porque eu estava planejando uma booktag especial que não saiu exatamente como planejei então fiquei um pouco perdida. Além disso, me inscrevi na Maratona Literária de Inverno 2017 do canal Geek Freak então estou lendo muito. Isso significa que:

    1)Em breve terei várias novas resenhas fresquinhas;

    2)Logo mais farei um post sobre a maratona e contar para vocês o que achei dessa experiência!

Agora chega de enrolação e vamos à resenha! O livro escolhido de hoje é O canto mais escuro da floresta de Holly Black. Conheci esse livro durante o Mochilão da Record 2017 – um evento promovido pelo Grupo Editorial Record que percorre diversas cidades do país para apresentar os destaques entre os lançamentos da editora – e logo de cara me apaixonei pela capa! O que, convenhamos, é totalmente compreensível. Então… durante o evento, quando ouvi os representantes da editora falarem sobre a história eu me vi completamente envolvida e percebi que simplesmente precisava desse livro! Por isso fiquei mega feliz quando um exemplar voltou para casa comigo. Infelizmente eu estava no meio da leitura da série Instrumentos Mortais e não pude lê-lo tão logo quanto eu gostaria, mas assim que finalizei a série corri para a minha estante para pegar meu lindinho!

Screenshot_20170723-091745

 

 

∴  Edição  ∴

 

Este livro foi publicado pela Galera Record em 2017 e foi escrito por Holly Black, que ficou famosa por ter escrito as Crônicas de Spiderwick. A capa, como eu disse, é maravilhosa e ainda tem um detalhe incrível na parte interna que é a continuação do desenho por dentro da orelha do livro.

Screenshot_20170723-092207

As páginas são amareladas e com ótimo tamanho de espaçamento, margem e fonte. A parte interna não possui nenhum detalhe que chame muito a atenção, somente é utilizada uma fonte diferente para alguns bilhetes que aparecem aqui e ali no decorrer da história, mas isso não faz o livro menos encantador.

Além disso, logo no inicinho do livro podemos encontrar diversas menções a histórias conhecidas como a Bela e a Fera e Doctor Who!

Screenshot_20170723-092017

 

∴  História  ∴
 Screenshot_20170723-092416

Hazel e seu irmão Ben moram na cidade de Fairfold, uma cidade fantástica onde humanos e fadas convivem em harmonia há um longo tempo. No meio da floresta que cerca a cidade existe um caixão de vidro onde um belo menino está adormecido. Ele possui chifres e orelhas pontudas e está ali desde que os moradores da cidade conseguem se lembrar (tanto que já é considerado por muitos um atrativo turístico local). Desde pequenos, Hazel e seu irmão costumavam frequentar a clareira onde estava o caixão e lá criavam inúmeras histórias sobre o garoto dentro dele.

Screenshot_20170723-093315

Até que um belo dia corre pela cidade a notícia de que o caixão foi quebrado e que o garoto sumiu. Esse fato surpreende a todos pois, por mais que várias pessoas tentassem, nunca conseguiram sequer arranhar a superfície do vidro, mas Hazel e Ben sabem o que isso significa: seu belo príncipe finalmente acordou! Imediatamente os irmãos se embrenham na floresta para ajudá-lo e com isso viverem juntos mais uma aventura na floresta repleta de criaturas mágicas.

 

 

 

Esse livro é absolutamente encantador. Mágico em diversos sentidos, fala de amor, aventura, sonhos, coragem e traição. É uma leitura rápida, leve e envolvente. Quando você menos espera está preso na rede construída por Holly Black e quase espera encontrar uma pixie ou um changeling andando por aí. Definitivamente vou querer ler todos os livros que contribuíram para a construção dessa história que foram listados pela autora nos agradecimentos.

Encontrei alguns pequenos errinhos em algumas páginas –  nada preocupante –  apenas pequenos detalhes que devem ter passados despercebidos (já que se trata de uma primeira edição) mas tenho que dizer que de forma alguma isso desmerece o livro ou o trabalho dos editores – o livro em si está impecável – eu apenas quis destacar essas ocorrências porque, como quero ser editora, elas me chamaram atenção, e também, para auxiliar a editora a consertar estas coisinhas [na remota hipótese de alguém de lá ler algo que eu escrevo(risos)].

Screenshot_20170723-092705

Bom, por hoje é só… hoje começa a segunda semana da Maratona Literária e só me restam dois livros para finalizar minha TBR e em breve falarei da #MLI2017 aqui no blog. Mas agora é a hora de vocês, leitores imaginários com quem sempre converso (culpem a Ray Tavares por essa nova loucura que eu super adotei depois de ler o livro dela): Vocês conhecem O canto mais escuro da floresta? O que acharam desse livro? Ele também entra na lista de “capas mais lindas” de vocês?

Vejo vocês no próximo post que, prometo, não vai demorar! Deixem seus comentários aqui embaixo que prometo responder todos!

Xx

 

 

 

Namorado de Aluguel (Kasie West)

Oi pessoal!

Na última segunda feira, dia 12/06, foi comemorado o Dia dos Namorados aqui no Brasil e para aproveitar todo o clima de romance que pairou no ar durante a semana inteira escolhi Namorado de Aluguel para a resenha da semana.

Screenshot_20170618-222606

Apesar de a capa ter me chamado muita atenção quando estava na livraria – por motivos de “chuva” (♥) – o que realmente me cativou mesmo foi o título. Qualquer que seja a época, misturar namoro e aluguel/contratos em geral é sempre uma boa pedida. É a receita certa para muita confusão.

∴  Edição  

Este livro foi publicado pela Verus Editora em 2016. A capa é linda com um casal super estiloso parcialmente coberto por um guarda-chuva vermelho, uma frase que nos pega totalmente, verniz localizado (♥) e uma fonte linda para o título! Acrescente ainda as páginas amareladas (que eu adoro)… não tinha como esta edição não ser perfeita!

Screenshot_20170618-222222

O designer lindo do título do livro aparece novamente nos números de cada capítulo. Em cada inicio – seja de capítulo ou de uma passagem de tempo –  também aparecem letras cursivas, dando um detalhe especial. Também podemos encontrar vários outros detalhes no decorrer das páginas, como diversos balõezinhos para mensagens de telefones e o ícone do Twitter para atualizações da rede social!

00000000000000

∴  História  

Gia Montgomery é uma garota super popular do seu colégio e aparecer no baile de formatura sozinha arruinaria toda a sua reputação, afinal ela vem falando do namorado para as amigas há um bom tempo. O que ela não esperava é que o garoto em questão fosse escolher justamente a noite do baile para terminar com a garota – para ser exata, ele terminou com Gia no estacionamento do baile! A garota então se pôs a pensar e a solução inusitada veio quando viu um garoto no carro esperando pela irmã: ele poderia se passar por Bradley afinal seriam apenas duas horas. O que poderia dar errado nesse tempo?

Bom… durante o baile tudo ocorreu como o planejado, o problema mesmo veio alguns dias depois. Inicialmente Gia planejava reconquistar o verdadeiro Bradley, mas é o substituto que ocupa todos os seus pensamentos. Para piorar a situação ela nem sabe o nome do garoto!

Screenshot_20170618-223031

Gia então tenta localizá-lo através da irmã do menino, afinal de contas ela lhe deve um favor… E de repente é ela quem tem que fingir ser a namorada dele. Inesperadamente eles se divertem juntos e justamente quando a garota começa a cogitar a ideia de transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece expondo a farsa e ameaçando tudo!

Nesse livro Kasie West mostra a jornada de uma garota que ao tentar encontrar o amor, pode acabar encontrando a si mesma.

Eu realmente adorei esse livro. Como eu disse, misturar romance e “negócios” sempre dá margem à ótimas histórias, sempre divertidas e com aquela dose extra de amor e confusão. Esse livro ainda retrata situações cotidianas de muitas jovens da idade de Gia e permite algumas reflexões sobre valores e amizade. Super recomendo (♥)!

E vocês?! Conhecem esse livro? O que acham dele? Deixem seus comentários aqui embaixo que prometo responder todos!!

 

 

Xx

Proposta Inconveniente (Patrícia Cabot)

Oi pessoal!

Sei que andei bem sumida, mas estava tendo muitas provas nas últimas semanas e por isso mal tive tempo de pensar esses dias. Infelizmente isso atrasou todo o calendário de posts especiais que eu estava preparando, mas eles irão ser postados em breve – ainda que não estejam mais cronologicamente adequados. Ainda não estou de férias, mas aproveitei a pequena pausa para respirar e vim correndo aqui postar mais uma resenha!

 

000000

O título escolhido hoje é Proposta Inconveniente de Patrícia Cabot. Eu já conhecia a autora desse livro há muito tempo (vou falar mais dela no final) e assim que vi essa capa linda levei esse livro comigo para casa!

 

∴  Edição

 

Este exemplar de Proposta Inconveniente foi publicado pela Editora Record  em 2014 (2ª edição). Assim como os outros livros já resenhados aqui, as páginas são amareladas e a letra tem um tamanho bom, assim como o espaçamento e a margem. Este livro não possui detalhes no decorrer das páginas, e mesmo a primeira página de cada capítulo é bem simples. Mas apesar de eu achar detalhes algo super charmoso, o estilo minimalista desse livro não deixa nada a desejar. Acredito que o a editora optou por essa diagramação por se tratar de um romance histórico adulto, mas (mesmo que não tenha sido o caso) a história é tão envolvente que a falta de quebras no texto acaba sendo um ponto positivo que te permite um foco total na trama.

000

 

A capa, por outro lado, nos cativa pela riqueza de detalhes. A escolha da palheta de cores foi perfeita, sem contar a da fonte para o título! Correndo o risco de incitar vários comentários furiosos de feministas e afins, tenho que dizer que adorei a retratação do espatilho que mostra o crescimento de Payton e a ressalta como uma bela mulher, e não mais uma criança – como seus irmãos a tratam. O espartilho lhe confere uma feminilidade sem igual e faz com que todos vissem a garota com outros olhos já que antes ela vivia metida em roupas de menino.

0

 

∴  História  

 

Esse livro – que se passa no século XIX – conta a história de Payton Dixon, uma garota super aventureira que foi criada em alto-mar junto com seus quatro irmãos mais velhos. Seu pai é dono de uma importante companhia de navegação na Inglaterra e, em razão disso, ela cresceu em meio à tripulação de um navio e sabe muito bem comandá-la quando seus irmãos estão bêbados demais para segurar o leme e exatamente por isso o maior sonho da garota é comandar seu próprio navio, o Constant.

Mas ser a capitã de um navio não é uma atribuição adequada para uma dama – não que Payton se interesse pelas atribuições de uma dama – e agora que a menina está para completar 19 anos, sua cunhada está determinada a trocar suas roupas masculinas por um belo vestido e espartilhos a fim de arrumar-lhe um marido. Essa mudança no visual atraiu a atenção do Capitão Connor Drake, a paixão secreta de Payton. Mas o capitão somente percebeu que a bela senhorita Dixon já não era mais uma criança às vésperas de seu casamento com a Srta. Whitby (uma garota que Payton acredita ser uma golpista dissimulada).

00

 

Apesar de, num primeiro momento, todas essas desconfianças parecerem algo motivado por ciúmes, as suspeitas de Payton se provam verdadeiras quando ela descobre que a noiva está tramando algo com o maior rival de seu pai. Ela ainda tenta alertar seus irmãos, mas eles não acreditam na garota que se vê  sem escolhas quando o barco dos noivos é atacado e por isso se infiltra em uma tripulação pirata para resgatar Drake. O que ela não esperava é que isso fosse levá-la para aventuras surpreendentes que acabariam por unir os dois de uma forma que ela jamais imaginou.

Eu adorei esse livro e mergulhei nele com tudo! Acreditem ou não li ele inteirinho em apenas uma tarde. Devo admitir que, apesar de não gostar do momento que chego ao fim de um livro, adoro quando ele me prende a ponto de eu ler ser ver o tempo passar. Gosto também de quando consigo ler por horas a fio sem parar por nada…

0000

 

Como eu disse, já conhecia essa autora há alguns anos… Dezesseis para ser mais específica. Talvez muitos de vocês a conheçam também pelo nome completo Meggin Patricia Cabot, ou pela abreviação mais conhecida: Meg Cabot. Meg Cabot ficou muito conhecida por livros como O Diário da Princesa e Mediadora, mas em se tratando de romances históricos ela optou por utilizar o nome Patricia Cabot  para que sua avó não soubesse que ela estava escrevendo livros impertinentes – palavras da própria autora!!! Mas tudo terminou bem entre elas… acabou que no fim os tais “livros impertinentes” ganharam o lugar de favoritos da vovó e Meg Cabot retirou o apelido.

1_ (2)

O primeiro livro dessa autora que li, como não podia deixar de ser aos nove anos de idade, foi O Diário da Princesa e em 2015 eu tive a honra de conhecer a Meg e vocês não acreditam em como ela é fofa! Sério, uma gracinha mesmo!! Ela veio ao Brasil para o lançamento do décimo primeiro volume da série e também da edição especial de 15 anos do primeiro livro. Acreditem se quiser, mas a maioria esmagadora na fila de autógrafos não era de crianças!!!!!

Bom… é isso gente… espero que tenham gostado da resenha! Nos vemos em breve!

Xx